Ciência da Computação Engenharia Industrial Madeireira
Engenharia Ambiental Engenharia Mecânica
Engenharia Biotecnológica Estatística
Engenharia Cartográfica Física
Engenharia Civil Física Médica
Engenharia de Alimentos Geologia
Engenharia de Controle e Automação Matemática
Engenharia de Materiais Química
Engenharia de Produção Sistemas de Informação
Engenharia Elétrica
 

O ser humano, desde o início dos tempos, viu fenômenos da natureza acontecerem e se perguntou por que eles ocorriam. Quis saber se choveria no dia seguinte e até quando isto aconteceria. Quanto tempo levaria até chegar a algum lugar. Como fazer um arco forte o bastante para lançar sua flecha a uma distância maior e com mais precisão do que seu inimigo. Viu, também, o sol se levantar e as sombras das árvores mudarem de tamanho enquanto isso ocorria. Viu as pedras se deslocarem com o vento e percebeu que, caso fossem empurradas elas rolariam, mas iriam parar logo adiante. Também notou que se soltasse a pedra em uma encosta ela desceria. Mas para fazer com que subisse a encosta teria que empurrá-la com mais força do que se ela estivesse em um terreno plano. Presenciou fenômenos como chuva, vento ou calor e percebeu que ocorriam mudanças após estes acontecimentos. Começou, então, a relacionar os fenômenos (causas) com os efeitos observados, bem como as consequências para seus povos.
Com o passar do tempo percebeu que através da relação causa-efeito poderia responder a muitas de suas perguntas ou mesmo prever o que poderia acontecer no futuro. Para isso desenvolveu uma nova linguagem, composta por símbolos e números, e através dela descrevia a relação causa-efeito do fenômeno observado. Esta nova forma de linguagem propiciou descrever o comportamento dos fenômenos, criando modelos que permitiram responder a muitas das diversas dúvidas que tinha até então, abrindo as fronteiras de uma nova área de conhecimento, a área das Ciências Exatas. Nesta área pessoas curiosas que gostam de saber quanto, quando, como, onde e por que, além de outras coisas mais, se reúnem para conversar e descobrir novas formas de sanar suas curiosidades, além de procurar entender como as coisas funcionam, propiciando que novas fronteiras sejam desvendadas e novos limites sejam alcançados.
A área de Ciências Exatas pode ser subdividida, de forma simplificada, em básica e aplicada. Dentro da área básica encontram-se, fundamentalmente, a Física, a Matemática e a Química. A Física usa a linguagem de símbolos e números para desenvolver modelos que representem os fenômenos observados na natureza. A Matemática estuda e desenvolve ferramentas que permitem e facilitam o uso e a aplicação desses modelos. A Química, por sua vez, utiliza e concebe modelos que tratam das substâncias da natureza, da maneira pela qual os elementos se ligam e reagem entre si. Na área aplicada encontram-se as Engenharias, Geologia, Computação, Estatística, entre outras. Nesta área utilizam-se os modelos existentes para o desenvolvimento de produtos e processos, e a busca das soluções dos problemas que surgem no dia a dia.
Em relação ao mercado de trabalho, este apresenta uma forte demanda por profissionais com boa qualificação e formação na área de Ciências Exatas. Os formandos poderão atuar nos mais diversos segmentos industriais ou comerciais, e até mesmo ter seu próprio negócio. Tais profissionais são cada vez mais requisitados para prestarem consultoria em empresas, além de serem muito solicitados para atuar em centros ou departamentos de pesquisa e desenvolvimento, além de em universidades, devido à crescente necessidade de pesquisadores com formação nesta área.
Se você é uma pessoa curiosa e que gosta de saber o porquê das coisas, como elas funcionam, encontrar soluções para os problemas ou propor novos projetos e formas de implementá-los, tem as razões e os motivos para fazer um curso na área das Ciências Exatas. A Unesp oferece excelentes e diversos cursos nesta área, ministrados por professores com extraordinária formação acadêmica, que ajudarão você a encontrar a melhor forma de alcançar seus objetivos e realizar os seus sonhos.

Galdenoro Botura Junior, formado em Engenharia Elétrica pelo Instituto Nacional de Telecomunicações – Inatel, é mestre e doutor em Engenharia Elétrica pela Unicamp. Professor Livre-docente pela Unesp na área de Projeto de Circuitos Integrados, tem especialização em Gestão e Liderança Universitária pela Organização Universitária Interamericana. É docente no Câmpus da Unesp em Sorocaba.