Compromisso, ética e conhecimento constituem o eixo central que orienta o Serviço Social. Por isso, o profissional da área deve estar preparado para contribuir na formulação e implementação de políticas sociais públicas e para atuar diretamente no processo de organização e mobilização da sociedade civil, empenhando-se pela efetivação dos direitos sociais e o desenvolvimento da cidadania.
O mercado de trabalho do assis-tente social concentra-se, sobretudo, nas áreas da saúde, da assistência social pro­priamente dita e da previdência, nas quais o profissional desenvolve sua atuação por meio de atendimentos individualizados e familiares, trabalhos grupais e comunitá­rios, visitas domiciliares e institucionais.
A assistência social é um direito de todo cidadão e dever do Estado, garantido na Constituição Federal e regulamentado na Lei Orgânica de Assistência Social, sancionada em 1993. O exercício da profissão é fiscalizado pelo Conselho Federal de Serviço Social – CFESS, em nível nacional, e pelos Conselhos Regionais de Serviço Social – CRESS, em nível regional.
A área de saúde é a maior empregadora de assistentes sociais no País, tanto nas unidades básicas de saúde e nos ambulatórios de especialidades quanto nos hospitais. O assistente social pode atuar também nas seguintes áreas: educação (escolas e creches), habitação, judiciária (varas de Justiça da criança e da família, de execuções penais e promotorias públicas), sistema penitenciário, recursos humanos, assessoria gerencial e gestão e controle das políticas sociais, por meio dos conselhos de saúde, de assistência social (municipal, estadual e federal), dos conselhos tutelares e conselhos de direitos.
O profissional vai lidar com crianças, adolescentes, jovens, idosos, famílias, pessoas portadoras de necessidades especiais e grupos específicos, como mulheres, negros, migrantes e sem-terra.
A maioria dos assistentes sociais é contratada pelo setor público estadual e municipal, mediante a realização de concursos ou processos seletivos, mas também podem atuar em ONGs. Existe também, hoje, uma quantidade significativa de profissionais que seguem a carreira da docência, devido, principalmente, ao aumento do número de faculdades de Serviço Social em todo o País, especialmente no Estado de São Paulo.

Na UNESP

Compreensão do ser social

Oferecido na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, câmpus de Franca, o curso de Serviço Social segue um projeto pedagógico implantado em 2000. As matérias do curso são divididas em três núcleos básicos: fundamentos teórico-metodológicos da vida social, fundamentos da formação sócio-histórica da sociedade brasileira e fundamentos do trabalho profissional.
A partir desses núcleos, o currículo inclui disciplinas como Filosofia, Sociologia, Psicologia, Antropologia, Economia, entre outras, sempre tendo como objetivo compreender o ser social e a vida em sociedade e conhecer as características históricas da sociedade brasileira.
O estudante também cursa disciplinas que lhe dão uma visão geral de como é o Serviço Social e dos novos desafios que lhe são apresentados no exercício profissional. Recebe, ainda, noções de Direito e Legislação, Ética, Política Social, Gestão Social e Administração.
O curso também prevê a participação dos alunos em estágios supervisionados em prefeituras, creches, asilos, hospitais, empresas e outras instituições em Franca e municípios vizinhos. Eles podem, também, realizar estágios nos projetos de extensão universitária existentes na Faculdade e em algumas unidades do próprio câmpus, como o Centro Jurídico Social, a Unamos – Unidade de Atendimento Médico Odontológico e Social, a Universidade da Terceira Idade e o Centro de Convivência Infantil.