O engenheiro ambiental é um profissional habilitado para atuar no diagnóstico, manejo, tratamento e controle de problemas ambientais urbanos e rurais.
O que o diferencia dos demais profissionais que atuam na área ambiental é que, além de identificar e avaliar a dimensão do problema, ele consegue propor a solução, projetá-la, implantá-la e monitorá-la. Para que o Engenheiro Ambiental possa ter tal competência e capacidade, o curso é composto de disciplinas das áreas de Exatas e Biológicas, que dão ao profissional a formação multidisciplinar necessária.
As soluções para resolver e/ou minimizar problemas e impactos ambientais geralmente se constituem de sistemas e equipamentos de controle da poluição do ar, da água e do solo e de técnicas de recuperação de áreas degradadas, que permitirão a preservação, a conservação e a recuperação de recursos naturais.
O Engenheiro Ambiental está capacitado para elaborar Estudos de Impacto Ambiental (EIA-RIMA) e para atuar nos processos de gestão ambiental e de certificação ambiental, a série ISO 14000 (certificação de qualidade ambiental dada por um órgão internacional).
Tais habilidades levam a oportunidades de trabalho em centros de pesquisa, órgãos executores de gerenciamento e controle ambiental, organizações não governamentais (ONGs), agências reguladoras de água, energia elétrica e vigilância sanitária, universidades e departamentos de controle da poluição de empresas e instituições privadas e públicas. Empresas de consultoria e instituições encarregadas da definição de políticas públicas ambientais também são potenciais empregadores.
O mercado procura aqueles profissionais que atuem no sentido de melhorar a eficiência no uso de recursos naturais de modo que obtenham maior eficiência econômica e para que possam atender à exigência nacional e internacional de que os processos utilizados nos diferentes meios de produção sejam ambientalmente corretos.
De modo geral, o que o mercado busca, além de competência técnica, são pessoas criativas, curiosas, com boa cultura humanista, visão interdisciplinar, habilidade para comunicar ideias e com rapidez de raciocínio. Essas características pessoais dentro do perfil profissional desejado podem facilitar uma rápida inserção no mercado de trabalho.
A Engenharia Ambiental é regulamentada no Brasil, desde 2000, pela Resolução 447 do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

Na UNESP

Estudo de processos físicos e biológicos

A Engenharia Ambiental é oferecida em três câmpus da UNESP. Na Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), em Presidente Prudente, a grade curricular multidisciplinar é pensada para possibilitar que o futuro engenheiro ambiental desempenhe atividades em sistemas, métodos e processos de aproveitamento, proteção, monitoramento, manejo, gestão, ordenamento, desenvolvimento e preservação de recursos naturais, bem como na adequação ambiental de empresas.
O curso do Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE), em Rio Claro, é direcionado para a formação de um profissional com sólidos conhecimentos em ciências básicas, espírito de pesquisa e capacidade de conceber e operar sistemas e processos de prevenção da poluição. Soma-se a esses conhecimentos, a compreensão dos problemas administrativos, econômicos, sociais e do meio ambiente, de forma a habilitar o egresso a trabalhar em equipes interdisciplinares.
A unidade de Sorocaba, por sua vez, enfatiza a formação de profissionais preparados para compor equipes multidisciplinares e que atuem na área de tecnologia de sistemas ambientais.